Nostalgia...One Three Hill

Ontem me bateu uma nostalgia, uma vontade de reassistir aos episódios de One Tree Hill... Seriadinho que via na minha pós adolescência, mas me identificava bastante. Vejo como um seriado que começa na adolescência e você vai acompanhando a evolução dos personagens sem ser algo imbecil. O personagem Lucas era culto e sempre abria ou fechava os episódios com uma reflexão baseada em algum livro que ele leu e sempre me fazia refletir junto.

Imagem via

Também tinha a Peyton, que possuía o carrão Mecury Comet, 1963. Ele caracterizava bem a sua alma antiga, uma pessoa com umas tendências depressivas mas que admirava o antigo e incorporava isso em seu dia a dia. Desenhista de primeira linha, cheia de criatividade, mas muito melancólica na maioria das vezes.

Imagem via
Ainda posso falar mais da Peyton e seu amor por música! Conheci diversos artistas bacanas graças a ela e à sua magnífica coleção de vinis. E na sua ponte para o amadurecimento da vida adulta é todo esse conhecimento que a faz abrir um negócio neste ramo, musical.

Imagem via
Enfim...quando eu tiver um tempinho, certeza vou rever alguns episódios. Gosto muito, acho OTH atemporal. E lida bem com nossas desventuras adolescentes ou até com nosso crescimento para a vida adulta.

Uma semana iluminada pra gente!
:*

E agora?

Já reparou que muita gente não consegue lidar com responsabilidades? Não conseguem absorvê-las, não conseguem lidar com as consequências que elas trazem, e no fim elas jogam isso para você decidir por elas.

Na minha família sempre foi assim. Sempre jogavam os problemas e eu sempre tentava resolver. Não compreendia que isso se tornaria um vício que só faria mal a mim, por que quando é família, você acha que tem obrigação de ajudar sempre. Mas quando se lida com adultos não é assim que funciona.

Aqui no meu trabalho, por se tratar de uma Diretoria de Departamento (de Média e Alta Complexidade da SESAU), as pessoas estão sempre buscando solução. Todo tipo de demanda chega por que tudo o que ninguém sabe resolver, manda pra nós (quando digo TUDO, exemplifico quando alguém está procurando um advogado e informaram que é no setor onde trabalho, que é estritamente setor saúde). E aí, escuto aquela velha pergunta: "e agora, faço o que?".

Imagem via

Gente...não dá não. Eu tenho que ficar pensando em soluções para tudo o que chega até mim? De uns tempos pra cá comecei a responder: "como vou saber?". Se te dou opções é porque o seu assunto diz respeito ao setor onde trabalho, mas se mesmo assim você não consegue achar uma que se adeque à sua necessidade...como vou saber???

Imagem via

Se a demanda que vem até nós, nada diz respeito com o Departamento ou mesmo com o setor saúde, a única resposta que posso dar é "você está no lugar errado", e o seu "e agora?" cabe apenas a você. As pessoas precisam parar de transferir para o outro a resolução para os seus problemas, até por que depois vai querer um bode expiatório para crucificar quando não conseguir o que precisa.

"E agora?"... Agora você se vira e encontra seu rumo pois, até para ajudar tem limite. Aprenda a definir seu caminho, escolher dentre as opções ou criar novas opções. O que você não pode fazer é esperar que o outro resolva por você qual atitude você deve tomar na sua vida.

Não quero que você interprete mal, como se eu fosse a megera que não sabe ouvir e ajudar. Pelo contrário...é quase uma exploração, e o meu setor de trabalho é parecido comigo, pois realizamos a escuta acurada para dar ao usuário SUS um rumo correto na Rede. Não deixamos ninguém sair daqui sem as soluções que nos cabem.

:**
Uma linda quinta!

Inspiração: Cozinha com metro white e quartzo stone.

É isso. Agora que parece ser real e estar mais concretizado do que jamais esteve, não consigo parar de pensar na cozinha. O pior é que percebi que esquecemos de pensar no banheiro! Portanto, depois de hoje meus esforços estarão voltados em pesquisar banheiros lindinhos e minúsculos, com o pé no chão, para conseguirmos concretizar essa reforma.

Em postagens anteriores eu falei da cor tangerina na decoração mas, graças a Deus, consegui convencer meu namorado que cores (fortes) utilizamos em objetos, pois podemos mudar facilmente ao enjoarmos.

A cozinha eu já bati o pé e o martelo, quero desse jeito que mostrarei nas próximas fotos. Se eu não conseguir, será por causa do meu orçamento, mas por hora, é este o caminho que seguiremos para a formação da cozinha. E como o Instagram me inspira DEMAIS, as imagens a seguir foram retiradas de alguns perfis que sigo.

Essa primeira foto é só para mostrar a porta do armário que me lembra portas italianas...quero pelo menos uma portinha assim *.*

@apartamento.102
 Mas, no contexto geral, eu quero meu canto de pesquisa e experimentos desse jeitinho:

@fonsecashop
 Que lindo quando vejo tudo branquinho, pedindo por um acessório de cores e luzes!

@maisinteriores
 O conceito é o seguinte: parede com metro white, balcão de quartzo stone branco, armários da parte de baixo do balcão em tom amadeirado, e armários superiores, em tom branco.

@spestudio
O chão vai ser porcelanato em um tom claro, integrado ao piso da sala (desistimos do vinílico na sala, depois eu conto porquê) para dar uma amplitude maior ao ambiente. Quero tudo o mais claro possível, pois teremos que fazer um milagre para nossos 39m² parecerem um pouco amplos.

Então, o que acha?
Agora é torcer pra dar tudo certo e entregarem o mais rápido possível.

:*
uma quarta muito iluminada pra gente!

Frase de efeito: Instagram Cleo Pires Oficial.

Há algum tempo atrás eu vi uma postagem no Instagram da minha musa rebelde, Cleo Pires, e fiquei reflexiva com aquela frase. Uma frase que queria mostrar pra mim algo que eu estava sentindo, desejando, mas que via a dificuldade de algumas poucas pessoas em aceitar.

A Cleo tem a mente aberta, louca, despreocupada. Acho magnífico como encara as coisas com leveza, por que na verdade a vida é bem simples e nós é que insistimos em torná-la difícil.

Imagem via


Numa sociedade que lucra com suas inseguranças, gostar de si própria é um ato de rebeldia.


E não é que faz a gente pensar? A sociedade lucra com nossas inseguranças? Sim. Em tantos sentidos que alguns deles nem percebemos. Jogam com nossos gostos, desejos, fraquezas, inspirações, vontades, medos...e usufruem disso. E quando simplesmente conseguimos ser como somos, nos mostrar como realmente nos sentimos, somos nós as rebeldes.

É preciso enxergar mais a individualidade de cada um e respeitar a essência de cada ser humano. Todos temos diferenças e peculiaridades e isso não ofende e não faz mal a ninguém. Permita-se!

:*
Uma linda terça! 

Iniciando a semana com pé direito!

Esta postagem entrou com certo atraso pois, apesar de ter sido programada, eu precisava trazer imagens e sensações do dia de hoje. Na última quinta-feira, ao final do dia, recebi a ligação que mudou todos os sentimentos de decepção daquele dia: a Construtora Tenda me liga para agendar a vistoria do apartamento.



Apesar de todos os problemas que soube que o meu Bloco apresentou, aquela notícia foi um alívio, pois sabia que não liberariam vistoria se o Bloco não estivesse seguro. Então nos dirigimos para a portaria do condomínio às 08:30 da manhã, conforme agendado.

Entramos no apartamento e estava meio alagado, houve um vazamento no banheiro que, segundo o engenheiro, quando foi aberto o registro geral de água nesta manhã, a força da água fez romper a tubulação do banheiro em cima do meu. O problema foi sanado, mas não havia a menor possibilidade de eu tirar fotos do apartamento no estado em que se encontrava.

Apesar disso, as notícias são muito boas. O problema foi resolvido e a revistoria deve ser agendada para no máximo na próxima semana. A partir daí, depois que todos os mutuários desses dois blocos fizerem suas vistorias, a Construtora Tenda já poderá agendar a Assembleia Geral para logo!

Tô muito feliz em poder ver meu apartamento, entrar nele! Na revistoria vai ter foto!
Uma semana iluminadíssima pra gente!
:*

Segundas chances...quantas temos?

Gente....como falei na postagem de segunda-feira, as coisas estão bem corridas por aqui. Mas sinto falta de vir no blog e compartilhar as diversas coisas que estão em minha mente com vocês, além visitá-los!

Ontem na aula a professora falou "nem sempre temos uma segunda chance", e não temos mesmo. Fiquei pensando sobre quando algo que fazemos dá errado e nos perguntamos "por que não fiz diferente", mas em alguns casos, como no trânsito, pode não haver a oportunidade dessa última pergunta já que uma fatalidade pode acontecer.

O Governo lançou uma campanha recentemente, "Gente Boa Também Mata". Muitos acharam a campanha controversa e ela inclusive está passando por um processo pois os consumidores têm reclamado da mesma, sob a alegação de "denegrir a imagem dos que lutam pela sociedade", e estão sendo confundidos com aqueles que matam no trânsito.

Imagem via

 Eu achei inteligente. Por que ela só demonstra que eu ou você, não saímos de casa na intenção de matar uma pessoa ou animal, mas que erramos e somos imprudentes como qualquer outro. Aparelhos de celular estão nos índices do que mais mata no trânsito hoje e não é por que estão atirando eles na cabeça dos outros, mas, por que as pessoas acreditam que conseguem fazer milhões de coisas ao mesmo tempo. 

O celular não é importante e se for, dá um jeito de encostar o carro e fazer o que acha importante com ele. Sou pedestre por enquanto e não saio na rua com o celular na mão pra não ser facilmente assaltada, se o princípio é minha segurança ele deve permanecer no carro. Enfim. Eu gostei da campanha, pessoas sensatas compreendem.

Lembremos sempre das oportunidades de "segundas chances".
Uma linda quinta-feira pra gente!
:*