.prova de vida.


Engraçado, o título do post é o título de um filme que assisti há algum tempo com Russel Crowe e Meg Ryan.

Dei esse título para falar de coisas triviais. Sobre mim, sobre você, sobre qualquer um. Porque todo ser humano vive num mundo particular. Estamos sempre mergulhando em nós mesmos e nos excluindo/poupando de algumas coisas que acontecem do lado de fora.

Semana passada assisti a Amor e Outras Drogas (Jake Gyllenhaal e Anne Hathaway) e estava relembrando uma cena onde Maggie vai a uma palestra com pessoas que possuem mal de Parkinson (não é spoiller, ok?!), e enquanto ela está maravilhada com aqueles depoimentos, e cheia de esperanças, emocionada, envolvida... ele apenas está asssutado.

Dois mundos. Inúmeros por aí. Só nós sabemos o que sentimos e, por mais que eu QUEIRA dizer o quanto estou triste ou feliz, nem sempre consigo. Existem coisas que só NÓS sentimos. Sabe quando você está em algum lugar, com algumas pessoas e aquilo fica vibrando dentro de você, e as pessoas contam coisas que - naquele momento - pareciam fantásticas? Depois você tenta dividir isso com alguém, e a pessoa não dá importância (não porque ela não queira, mas ela apenas não sentiu o que você sentiu).

Isso acontece o tempo todo. Eu parei de falar sobre meu dia. Pelo menos na frequência de antes. Existem coisas que só eu sei ou sinto. Bem como acontece dentro de você.

E esses dias eu tenho refletido um pouco mais. No caminho para o trabalho, tenho feito o percurso sozinha ultimamente, e isso me permite refletir um monte mais. Até tenho diminuído os desaforos que digo aos "engraçadinhos" na rua.

Bom, acho que veio daí o titulo do post. Pra mim isso é tudo prova de vida. Estamos vivos e sentindo.

:***

4 comentários:

  1. Oh Bárbara, não sabe o quanto fiquei feliz com seu comentário. E o melhor de tudo, não moramos muito longe! Moro em Salvador. :D

    Quanto ao seu texto, achei super interessante o que você escreveu, por dois motivos: um porque já li um livro que em parte fala sobre a gente não compartilhar tanto o nosso dia a dia com os outros, porque mesmo que não seja por mal, as pessoas não darão tanta importância. E segundo porque me fez refletir mais um pouco sobre isso.

    Ah! Tá rolando uma promoção lá no blog que se a pessoa ganhar, vai passar dia 05 e 06 de fevereiro em Recife. E como só é válido para quem mora em Salvador e cidades perto, estou te convidando.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Florzinha...

    Entendo o que você diz... Aquilo que toca o nosso coração nme sempre(ou quase nunca) toca o do outro... É estranha a maneira de sentir de cada um né?!

    Mais ainda bem que existe Blog... A gente grita e se expressa aqui...


    Avante Guria!

    ResponderExcluir
  3. É engraçado como a mesma situação pode ser percebida de maneiras tão diferentes, dependendo de cada indivíduo...

    ResponderExcluir
  4. http://sintaovento.blogspot.com/23 de fevereiro de 2011 02:22

    Binha, já passei tanto por isso. Antes era em pior, pq eu também não entendia o que eu sentia e o quanto aquilo poderia impactar nas outras pessoas. Hoje falo sem medo, mas recebo olhares estranhos e sorrisos irônicos.
    Não me importo. Confio em mim e luto contra a rotina para que me permita sempre sentir.

    Fico feliz em compartilhar desse sentimento com vc.

    Saudades, beijo.

    ResponderExcluir

Pode dar sua opinião sincera aqui ^^